Month: Maio 2014

Conflito e resistência: a luta pela agroecologia

  Por Camila Nobrega De Juazeiro, Bahia. À beira do Velho Chico, a cidade de Juazeiro da Bahia – sim, aquela que dividiu o coração de Gonzagão com a vizinha Petrolina em uma canção eternizada na voz do rei baião –foi a capital de uma luta difícil, que afeta a vida de todos os brasileiros, sem distinção de raça, credo, idade, região ou gênero: o direito à alimentação saudável. Cerca de duas mil pessoas estiveram reunidas no município, maior aglomerado urbano do semiárido, para debater e conhecer experiências de produção de alimentos diversificada e sem agrotóxicos por pequenos agricultores de diferentes regiões do país. A esse movimento se dá o nome de agroecologia, ainda pouco conhecida, mas na qual trabalham milhares de pessoas em todo o país. Parte delas esteve na Bahia neste momento para o III Encontro Nacional de Agroecologia. Alguns enfrentaram longas viagens – longas mesmo -, como Luciomar Monteiro, que levou quase 80 horas em um ônibus, desde seu município, Ariquema, em Rondônia. O agricultor viajou com outras 39 pessoas, levando na …

Mulheres à frente da agroecologia

Em vez de sino, um batuque em galões de plástico e latas deu o primeiro chamado. O coro forte seguiu. No lugar de água benta, banho de cheiro da Amazônia. Nada de filas, a hora era de roda. Assim começou a plenária de Mulheres no III Encontro Nacional de Agroecologia, na tarde deste sábado (17/5). Em pauta a desigualdade de gênero e o machismo que está entranhado em cada relação, dentro e fora de casa, uma das principais lutas da agroecologia, que conta com centenas de grupos de mulheres em todo o Brasil.